quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Consciência Negra e o Fim da Mentalidade Escrava

No celebre texto de Stive Biko "Nós, os Negros", no qual sempre intitulei ser a carta magna do Movimento de Consciência Negra do Mundo, Biko, nos convoca a contar nossas histórias e transgredir com o que é posto para o homem negro. Quando penso no fracasso de Moises, que pela mentalidade do povo judeu, o mesmo foi impedido de ver a terra prometida, consigo entender o quando giramos e giramos durante todos esses anos. Diferente do povo Judeu, nós, descendentes de pessoas destituídas de sua terra, nunca tivemos lideres que nos representassem, até porque isso sempre soou mau pra alguns irmãos e irmãs, vide comentários nada éticos sobre a Frente Negra, Abdias do Nascimento, Lélia Gonzales, os lideres da Revolta dos Males, Mano Brown e o próprio Zumbi dos Palmares, a liderança nos causa medo. Trocamos essa Liderança negra, que entende nossas dificuldades e caímos na velha falácia que o problema e as questões brasileiras são fruto da desigualdade social. Fico de fato triste e impressionado ao ver alguns irmãos nossos de cor, quebrada e luta, falando em presos políticos. A corrupção não tem lado, ela é praticada por todos, a dita "esquerda" está cada vez mais enDIREITAda, e enquanto isso continuamos a adorar deuses brancos, eurodescendentes, que nos roubam, nos enganam com um bom discurso de classe. E nós? os apoiamos, gritamos frases de protesto e proteção aos mesmos. Agora entendo porque Luiza Mahin e os Malês queriam a morte de alguns "irmão" (procurem saber). Eles nunca me representaram, não visto suas camisas vermelhas, amarelas ou azuis, e tão pouco terão meu voto em qualquer pleito. Outro fato estarrecedor que cerca e dá forma a nossa mentalidade escrava é o CIRCO, as comemorações do dia da consciência negra se tornam vazias e apelativas, mas graças aos Orixás as Marchas ainda continuam nas ruas com tom politico e firme gritando "Queremos nossa Juventude VIVA". 
Vivemos em uma nação que descrimina o candomblé, uma nação onde a capoeira teve que se transformar estritamente em luta para ganhar respeito, um lugar onde os pretos ainda carregam os carros e cometem crimes para os brancos curtirem o carnaval, mas mesmo assim quando se fala de "Brasil" as únicas referências que o restante do mundo tem ainda são ligados as culturas e tradições trazidas para cá pelos nossos antepassados feito escravos.
Termino dizendo, que só nos libertaremos da mentalidade escrava quando entendermos o poder que temos e como diz o rapper moçambicano Azagaia, quando aprendermos  a dizer NÃO, teremos de fato sabedoria para escolher o que é importante para nós, nossos irmãos, filhos...
FORÇA E ORGULHO
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário